Revista Cadernos de Estudos Sociais

Rua Dois Irmãos 92
Recife PE  52071440

Telefone: 8130736464

Revista Cadernos de Estudos Sociais

NORMAS PARA PUBLICAÇÃO - REVISTA CADERNOS DE ESTUDOS SOCIAIS
A Revista Caderno de Estudos Sociais acolhe textos escritos em português, inglês e espanhol, acompanhados de resumo, abstract e resumen, seguidos de três a cinco palavras-chave, keywords e palabras clave. A publicação será feita na língua original da submissão, podendo ser traduzido para o português caso o autor se responsabilize pela tradução.
O texto deve ser original. Em caso de trabalhos que tenham sido apresentados em congresso, mas cuja relevância justifique a publicação, deve-se indicar o evento em que houve a apresentação.
O trabalho não pode estar sendo avaliado para publicação por outra revista; caso contrário, deve-se justificar em "Comentários ao editor".
O texto deve ter entre 15 e 25 laudas e o arquivo da submissão deve estar em formato Microsoft Word, OpenOffice ou RTF.
Somente são aceitos trabalhos através de submissões on line.
Somente serão aceitos artigos que atendam a todos os requisitos destas normas. A responsabilidade por revisão ortográfica e estilística, referenciamento e formatação do texto original de acordo com estas normas é de inteira responsabilidade do autor.

Histórico e escopo da revista
A revista Cadernos de Estudos Sociais é uma publicação semestral da Fundação Joaquim Nabuco. Desde 1985 a revista vem sendo publicada pela instituição e, a partir de outubro de 2012, passa a contar com nova equipe editorial, com a meta de renovar a política de acesso e a forma de submissão de artigos. Com a renovação, o foco de sua política editorial é a divulgação permanente de trabalhos de excelência em seu campo de conhecimento, nas principais vertentes contemporâneas da área de ciências sociais, de autores nacionais e internacionais. A proposta é de alternar edições de temas livres e dossiês temáticos, que serão definidos na medida em que surjam demandas consistentes no meio acadêmico.
O objetivo é divulgar artigos originais na área de ciências sociais, nos campos da educação, sociologia, ciência política, antropologia, economia, demografia, estatística e correlatos. A CES é uma revista aberta à colaboração de pesquisadores de universidades e instituições de pesquisa do Brasil e do exterior. Sua linha editorial busca dar espaço para o debate de temas atuais da sociedade, seja através de discussões teórico-metodológicas, seja de resultados de pesquisas fundamentados teórica e metodologicamente, resenhas e notas de pesquisa. São bem recebidos trabalhos que tragam estudos comparativos entre o Brasil e outros países, em um diálogo inter e multidisciplinar entre os campos de conhecimento das ciências sociais. Por isso, a CES não é uma revista de caráter institucional, mas focada no debate social e cultural internacionalizado.
O processo de avaliação de artigos é feito por pares, realizado por corpo de pareceristas previamente convidado e de reconhecida importância no campo das ciências sociais. As chamadas para publicação são feitas por editais, mas mantém-se também uma política de recebimento em fluxo contínuo, através do sistema de submissões on line, por meio de cadastro pelo portal. Eventualmente, podem ser lançados editais para números temáticos. Em caráter especial, algumas edições podem ser feitas exclusivamente com autores convidados, com reconhecido saber nas áreas em que atuam. Nestes casos, poderemos convidar professores e pesquisadores como editores ad hoc. A edição poderá ser especial temática na íntegra ou compor um dossiê de uma edição regular. A revista tem versão em PDF (em processo de editoração) e impressa. Cada autor terá direito a 5 edições impressas, cujo recebimento depende do correto preenchimento do cadastro no momento da submissão do artigo.

Comissão editorial
Patricia Bandeira de Melo – editora-chefe
Isolda Belo da Fonte – editora
Joanildo A. Burity – editor

Avaliação cega por pares
Os artigos são submetidos a pareceristas ad hoc, após prévia avaliação da Comissão Editorial. Os artigos podem ser aceitos, recusados ou aceitos após alterações, que serão sugeridas pelos pareceristas ao autor. Os nomes dos pareceristas e dos autores são mantidos em sigilo durante todo o processo. A qualidade da redação do trabalho pode ser motivo para recusa do texto sem avaliação do seu conteúdo. O trabalho será avaliado considerando-se os seguintes critérios:
a) Relevância do objeto;
b) Pertinência e consistência teórico-metodológica;
c) Qualidade da redação;
d) Clareza da argumentação;
e) Contribuição aos estudos na área de ciências sociais.

Para garantir a integridade da avaliação cega por pares para submissões à revista, devem-se tomar algumas providências para que a autoria e a avaliação do texto não sejam reveladas. Para isso, autores, editores e avaliadores devem adotar as seguintes medidas:
1. Os autores do documento devem excluir do texto seus nomes, substituindo-os por "Autor" e o ano de publicação, em referências e ao longo de todo o trabalho, em vez de nomes de autores, título do artigo etc., que devem ser incluídos na área pertinente no item de submissões on line;
2. Em documentos do Microsoft Office, a identificação do autor deve ser removida das propriedades do documento (no menu Arquivo > Propriedades), iniciando em Arquivo, no menu principal, e clicando na sequência: Arquivo > Salvar como... > Ferramentas (ou Opções no Mac) > Opções de segurança... > Remover informações pessoais do arquivo ao salvar > OK > Salvar;
3. Em PDF, os nomes dos autores também devem ser removidos das Propriedades do Documento, em Arquivo no menu principal do Adobe Acrobat. Para submissões originárias, a revista prefere os formatos “doc” ou “rtf”.

NORMAS PARA PUBLICAÇÃO DE ARTIGO NA REVISTA CADERNO DE ESTUDOS SOCIAIS
Diretrizes para autores
A não observância das normas para publicação pelos autores pode resultar na recusa do artigo sem avaliação do trabalho, podendo o autor reapresentá-lo após a sua adequação.
A responsabilidade pela revisão inicial, referenciamento e formatação do texto original de acordo com estas normas é de inteira responsabilidade dos autores. A inobservância das regras de português que redundem na inelegibilidade do conteúdo do trabalho consiste num dos critérios de recusa para publicação.

Estrutura do artigo
1. Título e subtítulo (se houver);
2. Resumo na língua do texto;
3. Palavras-chave na língua do texto;
Título e subtítulo: devem ser breves e explicativos. O subtítulo deve ser separado do título por dois pontos (:). O título deve ser descritivo.

Todos os itens acima devem ser seguidos de uma versão nas duas outras línguas da revista.
O resumo deve ter entre 150 e 250 palavras e deve consistir numa apresentação concisa dos pontos relevantes do texto, com informações sobre objetivos, métodos e conclusões.
As palavras-chave devem ser representativas do artigo e devem vir após a expressão “Palavras-chave:”, cada uma delas separadas entre si por um ponto e finalizadas também por um ponto.
Exemplo:
Palavras-chave: Referências. Documentação.

Intertítulos: subdivisões do artigo. O trabalho deve ser iniciado com a introdução, destacada acima do texto em negrito, no mesmo tipo de fonte (Times New Roman), em caixa alta, tamanho 14. Os intertítulos seguintes são de livre escolha do autor, mas o último deve ser a conclusão ou considerações finais.
Texto: deve ser escrito em fonte Times New Roman, tamanho 12, entrelinhas 1,5, recuo à direita e à esquerda zero, espaçamento antes e depois zero, parágrafo com recuo na primeira linha de 1,25 cm (não usar a tecla Tab nem a régua acima do texto).

Ilustrações: desenho, gravuras ou imagens que acompanham o trabalho devem ser numerados em sequência e somente devem estar presentes se forem referenciadas no texto, indicando a relevância de sua presença no artigo. Devem ser inseridas o mais próximo possível do trecho a que se referem, não no final do documento na forma de anexos. Abaixo de cada uma das ilustrações deve estar a sua identificação, precedida da palavra designativa (figura, tabela, quadro etc.), seguida de seu número de ordem de ocorrência no texto, em algarismos arábicos, da respectiva explicação de forma breve e clara. A fonte vem em seguida. No caso de ilustrações que foram produzidas pelo próprio autor, deve-se informar abaixo dela a expressão “FONTE: Elaboração própria”. Enviar o material gráfico (tabelas, figuras) no programa em que foi criado.

Siglas: as siglas citadas ao longo do artigo devem ser antecedidas da forma completa (por extenso) na primeira vez que em que aparecem no texto.

Notas de rodapé: as notas de rodapé devem ter conteúdo substantivo para o texto. Não fazer referências bibliográficas em nota, todas devem vir ao final do artigo. O texto deve ser digitado em fonte Times New Roman tamanho 10. Não usar notas de fim.

Citações: em citações diretas com mais de três linhas ou 50 palavras, usar recuo de 3 cm, em fonte Times New Roman tamanho 11 e espaço simples.
Em citações indiretas, usar o sistema autor-data (Sistema Harvard) da seguinte forma: (AUTOR, ano, p. XX).
Exemplo: (MARX, 1983, p. 25).

O plural de página é p. Não usar pp.

Equações e fórmulas: aparecem na sequência normal do texto. É permitido o uso de entrelinhamento maior que comporte seus elementos (expoentes, índices e outros).

Referências: as referências devem vir ao final do artigo, em lista em ordem alfabética. As referências são alinhadas somente à margem esquerda do texto e de forma a se identificar individualmente cada documento, em espaço simples e separadas entre si por espaço duplo. Não é permitida a criação de notas de rodapé contendo somente referências. A seguir, seguem exemplos detalhados de referências, conforme a norma da ABNT 6023, de 2002.

Monografia no todo
Inclui livro e/ou folheto (manual, guia, catálogo, enciclopédia, dicionário etc.) e trabalhos acadêmicos (teses, dissertações, entre outros). Os elementos essenciais são: autor(es), título, edição, local, editora e data de publicação.
Exemplo:
GOMES, Luís (1998). Novela e sociedade no Brasil. Niterói: EdUFF.

Quando necessário, acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento.
Exemplos:
GOMES, Luís (1998). Novela e sociedade no Brasil. Niterói: EdUFF, 137 p., 21 cm. (Coleção Antropologia e Ciência Política, 15). Bibliografia: p. 131-132. ISBN 85-228-0268-8.

PERFIL da administração pública paulista. 6. ed. São Paulo: FUNDAP, 1994. 317 p. Inclui índice. ISBN 85-7285-026-0.

IBICT (1993). Manual de normas de editoração do IBICT. 2. ed. Brasília, DF, 41 p.

HOUAISS, Antonio (Ed.) (1996). Novo dicionário Folha Webster’s: inglês/português, português/inglês. Co-editor Ismael Cardim. São Paulo: Folha da Manhã. Edição exclusiva para o assinante da Folha de S. Paulo.

Monografia no todo em meio eletrônico
Inclui os mesmos tipos indicados no item anterior, em meio eletrônico (disquetes, CD-ROM, online etc.). As referências devem obedecer aos padrões indicados para os documentos monográficos no todo, acrescidas das informações relativas à descrição física do meio eletrônico.
Exemplo:
KOOGAN, André; HOUAISS, Antonio (Ed.)( 1998). Enciclopédia e dicionário digital 98. Direção geral de André Koogan Breikmam. São Paulo: Delta: Estadão, 5 CD-ROM.

Quando se tratar de obras consultadas online, também são essenciais as informações sobre o endereço eletrônico, apresentado entre os sinais < >, precedido da expressão Disponível em: e a data de acesso ao documento, precedida da expressão “Acesso em:”, opcionalmente acrescida dos dados referentes a hora, minutos e segundos.
Não se recomenda referenciar material eletrônico de curta duração nas redes.
Exemplo:
ALVES, Castro. Navio negreiro. [S.l.]: Virtual Books, 2000. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2002, 16:30:30.

Parte de monografia
Inclui capítulo, volume, fragmento e outras partes de uma obra, com autor(es) e/ou título próprios. Os elementos essenciais são: autor(es), título da parte, seguidos da expressão “In:”, e da referência completa da monografia no todo. No final da referência, deve-se informar a paginação ou outra forma de individualizar a parte referenciada.

Exemplos:
ROMANO, Giovanni (1996). “Imagens da juventude na era moderna”. In: LEVI, G.; SCHMIDT, J. (Org.). História dos jovens 2. São Paulo: Companhia das Letras, p. 7-16.

Quando necessário, acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento.
Exemplos:
ROMANO, Giovanni (1996). “Imagens da juventude na era moderna”. In: LEVI, G.; SCHMIDT, J. (Org.). História dos jovens 2: a época contemporânea. São Paulo: Companhia das Letras, p. 7-16.

SANTOS, Francisco dos (1994). A colonização da terra do Tucujús. In: ______. História do Amapá, 1o grau. 2. ed. Macapá: Valcan, cap. 3, p. 15-24.

Parte de monografia em meio eletrônico
As referências devem obedecer aos padrões indicados para partes de monografias, de acordo com 7.3, acrescidas das informações relativas à descrição física do meio eletrônico (disquetes, CD-ROM, online etc.). Quando se tratar de obras consultadas online, proceder-se-á conforme citado anteriormente.

Exemplos:
POLÍTICA. In: DICIONÁRIO da língua portuguesa. Lisboa: Priberam Informática, 1998. Disponível em: . Acesso em: 8 mar. 1999.

SÃO PAULO (Estado). Secretaria do Meio Ambiente. Tratados e organizações ambientais em matéria de meio ambiente. In: _____. Entendendo o meio ambiente. São Paulo, 1999. v. 1. Disponível em: . Acesso em: 8 mar.
1999.

Publicação periódica
Inclui a coleção como um todo, fascículo ou número de revista, número de jornal, caderno etc. na íntegra, e a matéria existente em um número, volume ou fascículo de periódico (artigos científicos de revistas, editoriais, matérias jornalísticas, seções, reportagens etc.).

Publicação periódica como um todo
A referência de toda a coleção de um título de periódico é utilizada em listas de referências e catálogos de obras preparados por livreiros, bibliotecas ou editoras. Os elementos essenciais são: título, local de publicação, editora, datas de início e de encerramento da publicação, se houver.
Exemplo:
REVISTA BRASILEIRA DE GEOGRAFIA. Rio de Janeiro: IBGE, 1939-

Quando necessário, acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento.
Exemplos:
REVISTA BRASILEIRA DE GEOGRAFIA. Rio de Janeiro: IBGE, 1939- . Trimestral. Absorveu Boletim Geográfico, do IBGE. Índice acumulado, 1939-1983. ISSN 0034-723X.

BOLETIM GEOGRÁFICO. Rio de Janeiro: IBGE, 1943-1978. Trimestral.SÃO PAULO MEDICAL JOURNAL. São Paulo: Associação Paulista de Medicina, 1941- . Bimensal. ISSN 0035-0362.

Partes de revista, boletim etc.
Inclui volume, fascículo, números especiais e suplementos, entre outros, sem título próprio. Os elementos essenciais são: título da publicação, local de publicação, editora, numeração do ano e/ou volume, numeração do fascículo, informações de períodos e datas de sua publicação.
Exemplo:
DINHEIRO. São Paulo: Ed. Três, n. 148, 28 jun. 2000.
Quando necessário, acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento.
Exemplo:
DINHEIRO: revista semanal de negócios. São Paulo: Ed. Três, n. 148, 28 jun. 2000. 98 p.

Artigo e/ou matéria de revista, boletim etc.
Inclui partes de publicações periódicas (volumes, fascículos, números especiais e suplementos, com título próprio), comunicações, editorial, entrevistas, recensões, reportagens, resenhas e outros. Os elementos essenciais são: autor(es), título da parte, artigo ou matéria, título da publicação, local de publicação, numeração correspondente ao volume e/ou ano, fascículo ou número, paginação inicial e final, quando se tratar de artigo ou matéria, data ou intervalo de publicação e particularidades que identificam a parte (se houver).
Exemplos:
AS 500 maiores empresas do Brasil. Conjuntura Econômica, Rio de Janeiro, v. 38, n. 9, set. 1984. Edição especial.

MÃO-DE-OBRA e previdência. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, Rio de Janeiro; v. 7, 1983. Suplemento.

TOURINHO NETO, Francisco C. Dano ambiental. Consulex, Brasília, DF, ano 1, n. 1, p. 18-23, fev. 1997.

Artigo e/ou matéria de revista, boletim etc. em meio eletrônico
As referências devem obedecer aos padrões indicados para artigo e/ou matéria de revista, boletim etc., acrescidas das informações relativas à descrição física do meio eletrônico (disquetes, CD-ROM, online etc.). Quando se tratar de obras consultadas online, proceder-se-á conforme já descrito.
Exemplos:
VIEIRA, Cássio Leite; LOPES, Marcelo. A queda do cometa. Neo Interativa, Rio de Janeiro, n. 2, inverno 1994. 1 CD-ROM.

SILVA, M. M. L. Crimes da era digital. .Net, Rio de Janeiro, nov. 1998. Seção Ponto de Vista. Disponível em: . Acesso em: 28 nov. 1998.

WINDOWS 98: o melhor caminho para atualização. PC World, São Paulo, n. 75, set. 1998. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 1998.

Artigo e/ou matéria de jornal
Inclui comunicações, editorial, entrevistas, recensões, reportagens, resenhas e outros. Os elementos essenciais são: autor(es) (se houver), título, título do jornal, local de publicação, data de publicação, seção, caderno ou parte do jornal e a paginação correspondente. Quando não houver seção, caderno ou parte, a paginação do artigo ou matéria precede a data.
Exemplos:
NAVES, Paulo. Lagos andinos dão banho de beleza. Folha de S. Paulo, São Paulo, 28 jun. 1999. Folha Turismo, Caderno 8, p. 13.

Quando necessário, acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento.
Exemplo:
PAIVA, Anabela. Trincheira musical: músico dá lições de cidadania em forma de samba para crianças e adolescentes. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p. 2, 12 jan. 2002.

Artigo e/ou matéria de jornal em meio eletrônico
As referências devem obedecer aos padrões indicados para artigo e/ou matéria de jornal, acrescidas das informações relativas à descrição física do meio eletrônico (disquetes, CD-ROM, online etc.). Quando se tratar de obras consultadas online, proceder-se-á conforme já descrito.
Exemplos:
SILVA, Ives Gandra da. Pena de morte para o nascituro. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 19 set. 1998. Disponível em: . Acesso em: 19 set. 1998.

ARRANJO tributário. Diário do Nordeste Online, Fortaleza, 27 nov. 1998. Disponível em: . Acesso em: 28 nov. 1998.

Evento como um todo
Inclui o conjunto dos documentos reunidos num produto final do próprio evento (atas, anais, resultados, proceedings, entre outras denominações). Os elementos essenciais são: nome do evento, numeração (se houver), ano e local (cidade) de realização. Em seguida, deve-se mencionar o título do documento (anais, atas, tópico temático etc.), seguido dos dados de local de publicação, editora e data da publicação.
Exemplo:
IUFOST INTERNATIONAL SYMPOSIUM ON CHEMICAL CHANGES DURING FOOD PROCESSING, 1984, Valencia. Proceedings... Valencia: Instituto de Agroquímica y Tecnología de Alimentos.

Elementos complementares
Quando necessário, acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento.
Exemplo:
REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE QUÍMICA, 1997, 20, Poços de Caldas. Química: academia, indústria, sociedade: livro de resumos. São Paulo: Sociedade Brasileira de Química, 1997.

Evento como um todo em meio eletrônico
As referências devem obedecer aos padrões indicados para evento como um todo, acrescidas
das informações relativas à descrição física do meio eletrônico (disquetes, CD-ROM, online etc.). Quando se tratar de obras consultadas online, proceder-se-á conforme já descrito.
Exemplo:
CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFPE, 4, 1996, Recife. Anais eletrônicos... Recife: UFPE, 1996. Disponível em: . Acesso em: 21 jan. 1997.

Trabalho apresentado em evento
Inclui trabalhos apresentados em evento (parte do evento). Os elementos essenciais são: autor(es), título do trabalho apresentado, seguido da expressão In:, nome do evento, numeração do evento (se houver), ano e local (cidade) de realização, título do documento (anais, atas, tópico temático etc.), local, editora, data de publicação e página inicial e final da parte referenciada.
Exemplo:
BRAYNER, Ângelo, Roncalli; MEDEIROS, Cláudio (1994). Incorporação do tempo em SGBD orientado a objetos. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE BANCO DE DADOS, 9., 1994, São Paulo. Anais... São Paulo: USP, p. 16-29.

Trabalho apresentado em evento em meio eletrônico
As referências devem obedecer aos padrões indicados para trabalhos apresentados em evento, acrescidas das informações relativas à descrição física do meio eletrônico (disquetes, CD-ROM, online etc.). Quando se tratar de obras consultadas online, proceder-se-á conforme já descrito.
Exemplo:
SILVA, R. N.; OLIVEIRA, R. Os limites pedagógicos do paradigma da qualidade total na educação. In: CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFPE, 4., 1996, Recife. Anais eletrônicos... Recife: UFPE, 1996. Disponível em: . Acesso em: 21 jan. 1997.

Legislação
Exemplos:
SÃO PAULO (Estado). Decreto no 42.822, de 20 de janeiro de 1998. Lex: coletânea de legislação e jurisprudência, São Paulo, v. 62, n. 3, p. 217-220, 1998.

BRASIL. Medida provisória nº 1.569-9, de 11 de dezembro de 1997. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 14 dez. 1997. Seção 1, p. 29514.

Imagem em movimento
Inclui filmes, videocassetes, DVD, entre outros. Os elementos essenciais são: título, diretor, produtor, local, produtora, data e especificação do suporte em unidades físicas.
Exemplo:
OS PERIGOS do uso de tóxicos. Produção de Jorge Ramos de Andrade. São Paulo: CERAVI, 1983. 1 videocassete.

Quando necessário, acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento.
Exemplos:
OS PERIGOS do uso de tóxicos. Produção de Jorge Ramos de Andrade. Coordenação de Maria Izabel Azevedo. São Paulo: CERAVI,1983. 1 videocassete (30 min), VHS, son., color.

CENTRAL do Brasil. Direção: Walter Salles Júnior. Produção: Martire de Clermont-Tonnerre e Arthur Cohn. Intérpretes: Fernanda Montenegro; Marilia Pera; Vinicius de Oliveira; Sônia Lira; Othon Bastos; Matheus Nachtergaele e outros. Roteiro: Marcos Bernstein, João Emanuel Carneiro e Walter Salles Júnior. [S.l.]: Le Studio Canal; Riofilme; MACT Productions, 1998. 1 bobina cinematográfica (106 min), son., color., 35 mm.

Autoria
Quando existirem mais de três autores, indica-se apenas o primeiro, acrescentando-se a expressão et al.
Exemplo:
URANI, André et al (1994). Constituição de uma matriz de contabilidade social para o Brasil. Brasília, DF: IPEA.

Em coletâneas de vários autores, a entrada deve ser feita pelo nome do responsável, seguida da abreviação, no singular, do tipo de participação (organizador, compilador, editor, coordenador etc.), entre parênteses.
Exemplo:
FERREIRA, Léslie Piccolotto (Org.) (1991). O fonoaudiólogo e a escola. São Paulo: Summus.

Autoria desconhecida
Em caso de autoria desconhecida, a entrada é feita pelo título. O termo anônimo não deve ser usado em substituição ao nome do autor desconhecido.
Exemplo:
DIAGNÓSTICO do setor editorial brasileiro. São Paulo: Câmara Brasileira do Livro, 1993. 64 p.

O título e o subtítulo devem ser reproduzidos tal como figuram no documento, separados por dois-pontos.
Exemplo:

PASTRO, Cláudio (1993). Arte sacra: espaço sagrado hoje. São Paulo: Loyola, 343 p.

Os meses devem ser indicados de forma abreviada, no idioma original da publicação.
Exemplos:
ALCARDE, José Carlos; RODELLA, Arnaldo A. (1996). O equivalente em carbonato de cálcio dos corretivos da acidez dos solos. Scientia Agricola, Piracicaba, v. 53, n. 2/3, p. 204-210, maio/dez.

Nas teses, dissertações ou outros trabalhos acadêmicos devem ser indicados em nota o tipo de documento (tese, dissertação, trabalho de conclusão de curso etc.), o grau, a vinculação acadêmica, o local e a data da defesa, mencionada na folha de aprovação (se houver).

Exemplo:
ALENTEJO, Eduardo (1999). Catalogação de postais. Trabalho apresentado como requisito parcial para aprovação na Disciplina Catalogação III, Escola de Biblioteconomia, Universidade do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

O(s) nome(s) do(s) autor(es) de várias obras referenciadas sucessivamente, na mesma página,
pode(m) ser substituído(s), nas referências seguintes à primeira, por um traço sublinear (equivalente a seis espaços) e ponto.
Exemplos:
FREYRE, Gilberto (1943). Casa grande & senzala: formação da família brasileira sob regime de economia patriarcal. Rio de Janeiro: J. Olympio, 2 v.

______ (1936). Sobrados e mucambos: decadência do patriarcado rural no Brasil. São Paulo: Ed. Nacional.


Os editores – Cadernos de Estudos Sociais

A revista Cadernos de Estudos Sociais é uma publicação semestral da Fundação Joaquim Nabuco. Desde 1985 a revista vem sendo publicada pela instituição.

Mostrar o Mapa Website

Informações do Local


Categorias: Editora, Instituição de ensino




Informar um Problema

Recife Tweets